Subir
Imagem alt

Suor e bem estar

ECO REMADA 2018: Consciência e atitudes limpas!

Todos os anos, milhões de voluntários em todo o mundo se reúnem no Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias. A intenção é, além de recolher lixo, chamar a atenção para um problema que só cresce e que tem colocado a vida marinha em cheque e várias espécies em perigo de extinção. Isso sem falar nas consequências para a saúde da população mundial, ligada e afetada diretamente pelo ecossistema marinho.

Por aqui, além da consagrada ação do Instituto Biota nas praias de Maceió, desde 2014 é realizada a ECO Remada, onde dezenas de pessoas mandam sua mensagem fazendo o que mais gostam, interagindo com a natureza em cima de um Stand Up Paddle, caiaque ou canoa. Este ano não foi diferente, quer dizer, até foi, já que pela primeira vez o encontro aconteceu na lagoa e não na praia.

Em 2018, a poderosa “onda verde” de conscientização começou na Nova Zelândia e terminou 36 horas depois no Havaí, com milhões de pessoas trabalhando para um objetivo: um planeta limpo e saudável. O Dia Mundial da Limpeza aproveita o poder das pessoas de bem para realizar coisas incríveis unindo-se. Sua beleza está na cooperação e colaboração, construindo o tema de nossa mensagem deste ano, “Consciência e atitudes limpas”.

Uma ideia que muda o mundo com um começo humilde. O movimento nasceu há 10 anos na Estônia, quando 4% da população saiu para limpar todo o país de resíduos despejados ilegalmente, em questão de horas. Isso motivou pessoas em todo o mundo, que foram inspiradas a seguir o mesmo caminho com a mesma ambiciosa fórmula “um país, um dia”. Como a Estônia celebra seu centésimo aniversário este ano, o Dia Mundial da Limpeza 2018 é o presente do país para o mundo.

E celebramos como ninguém na nova sede do Pá na Água, na Ilha de Santa Rita, em Marechal Deodoro. Foi um fim de tarde surreal pra confirmar o quanto é necessário preservar. Por quê? Porque queremos ter muitos pores do sol dentro d’água, seja no mar, rios ou lagoas. As imagens do fotógrafo André Palmeira falam por si só e você terá um gostinho da sensação que sentimos nos 4 kms percorridos entre o famoso Bar do Joel e a ponte do acesso ao Broma. Nessas horas descobrimos o quanto somos parte e que não faz nenhum sentido destruir a nossa casa.

E você que ainda não faz parte desse movimento, nem precisa esperar para o evento do próximo ano. Mude atitudes sujas e passe para consciência limpa. Seja um multiplicador de hábitos saudáveis. Já imaginou o que seria de nossa cidade sem as praias e lagoas? Elas já sofrem bastante agressão e estamos muito perto do limite sem volta. Pense nisso!

 

Oquê achou dessa postagem?