Subir
Imagem alt

Suor e bem estar

RACIOCINANDO: sobre dietas alternativas

POR Luiza Wasem (estudante)

 

Ter uma alimentação balanceada e praticar exercícios são coisas que andam lado a lado na busca por um bom condicionamento físico, isso é indiscutível. Mas até onde a “alimentação essencial”, que nos foi ensinada para alcançar esse objetivo, é realmente indispensável nesse processo? O fato é que não há fórmula perfeita e a ciência não para de nos dar exemplos das inúmeras possibilidades. E, ao contrário do que muitos pensam, existem sim as opções além das proteínas animais, como comprovam inúmeros atletas adeptos de dietas alternativas.

Helio Gracie, difusor do jiu-jitsu no Brasil e idealizador do Brazilian Jiu-Jitsu, é um grande exemplo de esportista que foge das dietas padrão. Aos 27 anos de idade aderiu ao vegetarianismo e em uma de suas últimas entrevistas, aos 94 anos, compartilha sobre a ideologia de ingerir o que lhe faz bem, não o que lhe agrada o paladar. Completa dizendo “Ninguém fica doente se não for através do que come”.

No cenário internacional, Frank Medrano, famoso atleta de calistenia é um nome de destaque no que diz respeito a dietas alternativas. O bodybuilder aderiu ao veganismo graças a dois amigos, também fisiculturistas, Dan Attanasio e Noel Polanco. O atleta diz repor as proteínas animais através da ingestão de vegetais, grãos e suplementação e diz também no que acarretou sua mudança de hábitos alimentares; “A medida que as semanas passavam, a minha energia foi aumentando rapidamente, a minha resistência e recuperação muscular aumentaram para níveis milagrosos. Tornei-me mais forte, mais rápido e parei de me sentir cansado ou inchado” diz o atleta.

Outros nomes como Jim Morris, fisiculturista de 78 anos, Mike Tyson e Patrik Baboumian, detentor do título de homem mais forte da Alemanha, não poderiam ficar de fora. Patrik, recordista mundial, explica sua força através da seguinte frase “Os animais mais fortes do planeta são comedores de Plantas. Gorilas, búfalos, elefantes e Eu”.

A nutricionista Clarissa Casale Doimo, pós-graduada em nutrição aplicada ao exercício físico pela Universidade de São Paulo (USP), diz que, atualmente, uma dieta vegana é mais saudável do que aquelas baseadas em ingredientes de origem animal. Completa dizendo que é muito benéfica por ser rica em antioxidantes, que são agentes responsáveis por retardar o aparecimento de doenças crônicas como infarto, AVC, obesidade, diabetes tipo II, colesterol alto, pressão arterial alta, além de contribuir como fator de prevenção contra desenvolvimento de câncer de mama e colón.

Conclui-se que não somente é possível ser detentor de um excelente condicionamento físico com uma dieta que foge do padrão, como, em certos casos, isso chega a ser inclusive uma vantagem. Nessa discussão ainda não concluída, haverá espaço para prós e contras, afinal, nunca antes o estudo da alimentação humana foi tão amplo e profundo. De certo, o que temos é que nossa saúde começa por ela.

Oquê achou dessa postagem?